terça-feira, 18 de março de 2008

Minha primeira experiência foi com minha tia

Tenho vinte e quatro anos, sou morena clara, tenho 1,69m de altura, peso 58 Kg, cabelos e olhos castanhos claros, seios médios e durinhos com mamilos rosados, bundinha durinha e tenho umas com as coxas deliciosas. Estou me descrevendo para que você, leitora ou leitor, possam se situar na minha história, pois acho que ela vai te levar a imagens maravilhosas, pode ter ser certeza, me acho muito gostosa e tesudinha. Minha primeira experiência foi com minha tia, irmã do meu pai, ela tinha vinte e dois anos e eu dezesseis. Modéstia à parte, já era bem gostosinha. Sempre que meus pais viajavam, essa minha tia ia dormir lá em casa para nos fazer companhia, a mim e ao meu irmão, que é dois anos mais moço. Nesta vez, janeiro de 1994, como sempre meus pais viajaram e ela foi passar a temporada de viajem conosco. O verão estava muito forte, isso talvez tenha sido responsável por tudo. Numa tarde de sábado, quando estávamos conversando na sala, depois de voltarmos da praia, ela, reclamando calor e, como meu irmão não estava em casa, resolveu ficar só de calcinha falando-me para fazer o mesmo. O corpo dela é maravilhoso, com 1,72m de altura, seios fartos e rígidos, com curvas perfeitas, e isso me despertou o desejo da puberdade. Aquele desejo que temos na adolescência e que satisfazemos nos masturbando. O problema é que ela percebeu, ou melhor, também deveria ter algum desejo reprimido. O momento inicial de constrangimento mútuo pelas demonstrações aparentadas, transformou-se em uma descontração maravilhosa. Ela falou que achava meu corpinho muito bonito, me perguntando se já havia tido algum prazer com ele. Ainda meio encabulada pelo momento, sem muita coragem de contar minhas experiências com meu namorado, porém com um desejo latente transpirando por toda a minha pele, contei que somente havia tido contato com o pau do meu namorado, apenas roçando nas minhas coxas, e que já havia me masturbado olhando meu irmão nu tomando banho. Ela perguntou se já tinha tido algum contato com meninas e se gostaria, falei que não e que talvez fosse gostoso, pois não haveria risco e poderia satisfazer meu desejo de contato de pele. Ela se aproximou de mim beijou-me na boca. Fiquei em transe não sabendo o que fazer. Ela continuou a me beijar, começando também a me acariciar, abri minha boca e senti o contato da sua língua quente se entrelaçando com a minha. Neste momento ela já estava acariciando meus mamilos que já estavam durinhos de tesão. Ela tirou minha calcinha e acariciou meus pêlos e minha virilha, com muito carinho. Fiquei completamente e arrepiada. Colocou-me em pé à sua frente, tirou a calcinha e encostou todo o seu corpo no meu. É uma lembrança que nunca esquecerei. Eu falei:- Tia, como é gostoso o contato da sua língua na minha boca, do seu carinho nos meus mamilos, do seu corpo quente colado ao meu, estou toda relaxada e com desejo de ser toda sua, me entregar para que você faça o que quiser comigo.- Vamos para a cama meu amor - ela me ffalou, levando-me para o quarto dos meus pais - Deite-se na cama de barriga para cima e fique bem relaxada, vou fazer você se sentir muito feliz e você vai gozar como nunca gozou.Abriu as minhas pernas e começo a me chupar, abriu bem meus grandes lábios e meteu a língua dentro da minha xaninha. Aquela língua quente e grossa penetrando e esfregando-me por dentro, juntamente com a massagem que ela fazia no meu clitóris estava me levando quase a desmaiar. Fiquei quase louca quando ela começo a lamber a portinha do meu cuzinho, meu anelzinho se contraia como querendo receber aquela coisa deliciosa que roçava meu cu. Queria em abrir todinha para poder receber tudo, estava tomada de tesão. Ela virou-se e colocou sua bocetinha na minha boca, estávamos na posição para fazer um 69. A cheiro da boceta dela me deixou mais louca ainda. Aquele cheiro de tesão, de boceta de mulher sedenta de amor, me transtornou, enfiei minha boca dentro da boceta dela e esfreguei minha língua como louca, queria sentir o gosto daquele cheiro, queria beber até a última gota aquele líquido maravilhoso. Minha tia já se estremecendo de prazer, falou-me:- Minha putinha maravilhosa, me lambe, me chupa, me faz gozar na sua boca. Eu já estou sentindo o gosto da sua bocetinha virgem, desse seu cuzinho apertadinho, quero entrar dentro de você e fazer você sentir todo o prazer possível.Logo depois gozamos as duas, cada uma deixando na boca da outra o liquido da tesão do desejo carnal, da vontade de sexo, do prazer da carne e do contato do amor. Então ela se virou, ficou ao meu lado, e nos beijamos na boca, com nossas línguas entrelaçadas, podendo cada uma sentir o gosto do seu tesão, beber o seu próprio líquido do prazer, uma na boca da outra. Que coisa maravilhosa, minha tia estava me proporcionando a coisa mais gostosa que já tinha vivido. Ficamos nos acariciando e nos beijando com amor e carinho, ela me falou que era uma delícia sentir o calor da outra na boceta. Sentamos, uma de frente para o outra, com as pernas abertas, entrelaçadas com uma tesoura, e ela mandou eu abrir bem os grandes lábios da minha boceta, fazendo o mesmo com a dela. Quando encostamos as duas bocetas abertas e eu senti o calor e o contato da sua boceta, novamente estremeci de desejo. Ficamos esfregando nossas bocetas, nos chupando na boca, cada uma bebendo a saliva da outra, numa sofreguidão deliciosa das nossas línguas, esfregando os mamilos durinhos de tesão, como se estivéssemos fazendo uma luta de espadinhas, que eram os mamilos durinhos. Gozamos mais uma vez, cada uma molhando a boceta da outra com seu líquido quente.Depois de descansar um pouco, fomos tomar um banho bem gostoso para relaxar. No banheiro, uma vendo a outra peladinha, com as última lembranças dos momentos maravilhosos vividos, nos abraçamos e nos beijamos mais uma vez. Foi aí que ela me proporcionou a coisa mais maravilhosa. Ela falou que, como já estávamos quentes e transpirando amor, e já que iríamos tomar um banho gostoso, poderíamos fazer uma coisa que dava muita tesão a ela. Quando eu perguntei o que era, ela me deitou no chão do box e fez um xixi super quente e grosso cheio de tesão sobre o meu corpo. Pela expressão que ela fazia, era evidente o enorme prazer que ela sentia enquanto mijava em mim. No início eu fiquei envergonhada, mas depois acabei gostando. Quando caiu a última gota, ela passou sua boceta molhada de xixi no meu rosto, na minha boca, nos meus mamilos e em todo o meu corpo. Fiquei mais um uma vez super excitada. Ela me pediu para que eu fizesse nela a mesma coisa:- Deixa essa bocetinha derramar um xixii bem quente e tesudo no meu corpo, na minha boca, no meu rosto. Vamos nos abraçar e ficar nos esfregando com o corpo todo molhado do nosso xixi. Quero te lamber e quero que você me lamba, quero poder sentir o meu gosto no seu corpo e você sentir o seu gosto no meu corpo.Não perdoei: direcionei o jato forte para o rosto dela, às vezes mirando nos seios gostosos. Ela gemia de tesão e caiu de boca na minha xana quando eu terminei. Deitamos no chão do box e colamos velcro novamente, com um cheiro forte de urina no ar. Tenho certeza que foi a melhor experiência que já pude ter, talvez por ter sido a primeira, e ficará marcada para sempre em minha mente.

Um comentário:

manhosa louca por mulher disse...

nosssa muito legal essa historia, como eu queria ter uma tia assim tb,
aceita ser minha tia?
vc é de onde?